O meu objetivo número um, é ajudar os leitores a melhorar as suas vidas financeiras, e faço parcerias regularmente com empresas que partilham a mesma visão. Se a compra ou inscrição for feita através dos links dos nossos parceiros, recebo uma compensação pela indicação.

No artigo de hoje, vamos falar sobre as 14 principais tendências no ecommerce, de modo a alavancar em 2021 os seus resultados da sua loja online.

O setor de ecommerce está sempre mudando e este ano não foi diferente.

Mais do que nunca, os comerciantes criam e / ou aprimorando os seus negócios de ecommerce para atender aos clientes onde eles estão.

Embora possa parecer que tudo no ecommerce evolui, eu restringi-lo às maiores tendências que afetarão os negócios nos próximos meses e anos.

14 Tendências no ecommerce que impulsionam o retalho online

conteudos para blogs

Conversei com líderes do setor sobre as mudanças neste ano e eles têm muito a partilhar.

Portanto, vamos explorar as maiores tendências no ecommerce e ver onde as coisas caminham.

1. A realidade aumentada aprimora a realidade das compras online

A realidade aumentada (RA) foi uma virada de jogo completa para o ecommerce.

Com esse tipo de tecnologia, os clientes podem realmente ver o item que compram, o que os, ajuda a decidir de compra. 

A RA realmente muda a experiência de compra em setores específicos, como moda e decoração, porque o cliente pode ter uma ideia melhor do item sem vê-lo pessoalmente.

Em 2019, o Gartner previu que 100 milhões de consumidores farão compras usando RA até 2020, então será interessante ver como isso acontecerá no próximo ano.

As pesquisas mostraram alguns números realmente poderosos em relação à RA também: 35% das pessoas, dizem que comprariam mais online se pudessem experimentar um produto antes de comprá-lo, e 22% teriam menos probabilidade de visitar um tijolo e argamassa se o RA estivesse disponível na sua loja de ecommerce favorita. 

A RA concede a uma pessoa a capacidade de não apenas ver um modelo 3D de um produto, mas permite que o utilizador veja como ficaria se o estivesse a usar.

Alguns produtos e indústrias se adaptam melhor aos métodos tradicionais de compra, mas a RA vai agitar as coisas mais cedo ou mais tarde.

Espera-se que muito mais empresas utilizem a RA para os seus produtos e negócios, tanto que se tornará mais padrão em plataformas de ecommerce e redes sociais.

Estamos a ver isso ser usado com empresas maiores, mas penso que em breve começaremos a vê-lo se tornar popular para empresas de todos os tamanhos.

2. Haverá um volume crescente de pesquisas por voz

Não apenas mais pessoas possuem microfones inteligentes, mas também contam com assistentes de voz para realizar as tarefas diárias.

A Loop Ventures prevê que 75% das residências dos EUA possuirão um
microfone inteligente até 2025.

À medida que mais casas adotam microfones inteligentes, mais consumidores utilizam a pesquisa por voz para fazer compras online, pedir comida e organizar as suas vidas.

O aumento da pesquisa por voz cria uma oportunidade para empresas de ecommerce em termos de palavras-chave e conteúdo.

Mais envolvimento de soluções habilitadas por voz no espaço de comércio com Amazon Alexa e Google Home no topo da sua lista de tendências de 2020 para ficar de olho.

3. A IA ajuda as lojas a aprender sobre os compradores

A Inteligência Artificial (IA) e a aprendizagem da máquina possibilitam que o cliente tenha experiências de compra automatizadas e personalizadas. 

A IA coleta dados continuamente sobre como um cliente faz compras, quando faz compras e o que procura num produto ou serviço.

É uma tecnologia que realmente não pode ser replicada na loja.

As pessoas querem saber que as marcas se preocupam com elas e que a IA será programada de acordo.

Atualmente, vimos o comportamento oposto nas redes sociais, onde a IA aprende com as observações mais negativas dos humanos, mas é altamente provável que os consumidores desejem o impacto.

Se os bots podem aprender como formar frases para transmitir uma emoção, as empresas podem rapidamente ensiná-los a oferecer conforto e produtos com base no humor dos clientes.

4. A personalização no local usa esses insights para criar experiências individualizadas

Os compradores de todos os tipos, incluindo B2C e B2B procuram produtos personalizados, experiências de compras personalizadas online.

Os dados recolhidos da IA são o que possibilita a um comprador obter recomendações personalizadas de produtos e atendimento ao cliente detalhado.

A implementação de experiências personalizadas no local ou em esforços de marketing mostrou ter um forte efeito na receita, com um estudo descobrindo que teve um aumento de receita de 25% para retalhistas que escalam recursos avançados de personalização.

Para um contexto mais aprofundado, isso representou 19% das empresas participantes, enquanto os retalhistas que estavam "desenvolvendo recursos básicos de personalização" alcançaram "um aumento de receita de 10% ou mais; os retalhistas neste nível respondem por 40% das empresas participantes."

À medida que as marcas aproveitam e aproveitam mais dados, elas podem criar experiências incrivelmente relevantes para os compradores que se sentem feitos sob medida.

5. Os dados desempenham um papel na criação de experiências personalizadas

Hoje, muitos consumidores estão mais conscientes de que os sites de ecommerce recolhem dados pessoais, o que os coloca em risco.

Por causa disso, os especialistas têm sentimentos confusos sobre os benefícios do big data e como isso afeta a experiência de compra personalizada.

À medida que os gigantes da tecnologia continuam a se expandir e trazer mais serviços internos, a personalização acabará a abrir caminho para a Internet das coisas.

Além de ver sugestões em motores de busca ou plataformas de compras, também as veremos nos nossos termostatos e câmeras de campainha.

No entanto, com parte da legislação sendo promulgada, poderemos optar por não aceitá-la.

Isso criará uma dicotomia interessante, pessoas com experiências personalizadas e aquelas que não têm.

Isso terá impactos interessantes sobre como nós, profissionais de marketing, podemos alcançar novos utilizadores.

6. Os chatbots melhoram as experiências de compra

Os chatbots interagem com os compradores online da mesma forma que um vendedor da loja faria.

O comprador de hoje deseja encontrar e comprar um produto com apenas alguns cliques e, se não puder, ficará frustrado.

É aqui que um chatbot pode entrar em ação e salvar a venda.

Os especialistas preveem que 80% das empresas usarão chatbots em 2020.

Os chatbots estão na moda hoje em dia para suporte ao cliente.

No entanto, penso que eles mudarão drasticamente a maneira como as pessoas compram online.

Eles tornarão-se uma das ferramentas de marketing mais importantes.

No espaço de retalho, quiosques self-checkout provavelmente se tornarão a norma e o marketing na loja aumentará.

Da mesma forma que os chatbots estão se tornando mais intuitivos, eu penso que os bots assistentes de compras pessoais online se tornarão mais comuns, usando dados anteriores para ajudar a antecipar novos produtos de que gostará.

Semelhante às sugestões da Amazon para produtos semelhantes.

7. As compras pelo telemóvel ainda estão em movimento

As compras pelo celular permitem que os clientes façam compras em qualquer lugar, o que é vital no mundo de hoje.

No entanto, se o seu site de ecommerce não responde no telemóvel ou através de aplicativos da web, perderá grandes oportunidades.

Os compradores que são utilizadores de dispositivos móveis desejam conveniência adicional, além da capacidade de pagar digitalmente.

Em 2019, o Statista estimou que até o final de 2021, 73% das vendas do ecommerce ocorrerão num dispositivo móvel.

8. Mais maneiras de pagar

Os clientes têm necessidades individuais quando se trata de métodos de pagamento, mas eles podem cancelar uma venda potencial se não puderem pagar como querem num site de ecommerce.

Oferecer uma ampla variedade de formas de pagamento é uma boa maneira de aumentar as taxas de conversão em dispositivos móveis.

Além disso, se os clientes puderem salvar as suas informações de pagamento no seu site, eles poderão finalizar a compra com ainda mais rapidez na próxima vez que fizerem uma compra.

Pense em como seria fácil comprar um produto em qualquer site da Web se, na finalização da compra, pudesse simplesmente fornecer uma identificação exclusiva para você.

Este ID exclusivo seria para um serviço de carteira centralizado que armazenaria com segurança todas as suas informações de pagamento, endereços de envio e cobrança, preferências, etc.

Empresas como a Apple e o PayPal já tentaram fazer isso no passado, mas penso que poderia se tornar mais normalizado.

9. O headless commerce baseado em API permite inovação contínua

O headless commerce é uma solução que permite que a plataforma de ecommerce de uma loja online seja completamente separada da camada de apresentação de front-end.

Mais empresas de ecommerce adotam o sistema headless devido à sua flexibilidade no back-end, além dos recursos adicionais de SEO, marketing de conteúdo e experiência digital.

10. Os clientes respondem ao vídeo

O vídeo provou ser uma ótima maneira de envolver os clientes em 2019 e não vai acabar tão cedo.

Criar vídeos para o seu site é uma ótima maneira de atrair e envolver instantaneamente um cliente e informá-lo sobre o seu produto ou serviço.

Vejo o uso de podcasting e conteúdo de vídeo curto para aumentar a oportunidade para os compradores aprenderem sobre como os produtos e serviços de uma marca de ecommerce fornecem a solução para a oportunidade, desafio ou problema que um comprador procura resolver.

Com essas duas formas de desenvolvimento de conteúdo, vem a tecnologia para rastrear o envolvimento do espetador...

A importância dos vídeos não pode ser subestimada.

Os vídeos podem ajudá-lo a explicar e mostrar os seus produtos melhor do que as imagens.

Deve considerar adicionar vídeos dos seus produtos na sua loja de ecommerce.

11. As assinaturas fazem com que os clientes voltem

Hoje em dia existem assinaturas de todos os tipos e a sua conveniência é atraente para os consumidores.

Para as empresas, os serviços de assinatura criam uma maneira de planear o stock e as vendas que já estão bloqueados.

12. A sustentabilidade torna-se mais importante

Consumidores e empresas estão cada vez mais conscientes do meio ambiente.

Por isso, os consumidores estão mais conscientes sobre onde fazem compras e o impacto que isso tem sobre o meio ambiente e os efeitos relacionados.

Uma pesquisa descobriu que 50% dos entrevistados queriam mais sustentabilidade na indústria da moda e 75% queriam menos embalagens.

Muitas empresas encontram maneiras de ser mais ecológicas, evitando o uso de papel quando possível, usando embalagens biodegradáveis e materiais recicláveis.

13. As empresas devem otimizar a estratégia digital para conversão

Trazer clientes em potencial para o seu site é uma tarefa, mas fazer com que eles convertam é outra.

Em 2020, as empresas procuram melhorar as suas taxas de conversão, otimizando as suas páginas de produtos.

A venda multicanal também é outra forma de obter conversões, seja através de publicidade no Facebook ou de anúncios de compras no Google.

Cada vez mais marcas competem pelos mesmos olhos.

O algoritmo do Facebook recompensa, criativos baseados em vídeo e movimento com mais probabilidade de prender o seu público rapidamente.

E os clientes também estão mais exigentes, impacientes e curiosos do que nunca.

Certifique-se de entender os meandros do criativo de anúncio de desempenho, que não só parece legal, mas também gera conversões.

Usar esses canais de maneira inteligente é a melhor maneira de garantir que a sua marca estará posicionada de forma única para se destacar no cenário de marketing digital em constante mudança.

14. O B2B cresce... e a mudar

Se você já se preocupou com a possibilidade de o B2B sair de moda, não tema.

As vendas globais de ecommerce no retalho para B2B devem chegar a US $ 1,1 trilião em 2021, de acordo com dados do Statista .

A Forrester prevê que em 2020 quase metade de todos os adultos serão Millennials, o que também significa um aumento nos compradores B2B Millennials.

Esses dois públicos desejam pesquisar facilmente as suas necessidades e produtos relacionados, sem conversar com os vendedores.

Os dias em que os pedidos precisam ser feitos através de formulários de pedido por fax ou apenas por telefone diminuem.

Mais e mais empresas começam a ver o valor em atender os seus clientes online.

Ao automatizar essas tarefas por meio do seu site de ecommerce, as equipas deixam de gastar a maior parte do seu tempo processando entradas de pedidos em apresentações de email ou formulários impressos.

Em vez disso, eles mudam o seu foco para o mais importante: envolver-se com os clientes, proporcionando-lhes uma excelente experiência com o cliente e estabelecendo relacionamentos contínuos com o cliente.

Pense nas suas opções: decidir se uma tendência faz sentido para a sua empresa

exemplo de funil de vendas

Nem toda a tendência vale a pena seguir, mas qual delas merece o seu tempo e esforço?

Embora alguns ofereçam um enorme valor agregado, outros podem estar fora de contacto com o seu público específico ou podem ser muito caros para implementar para a sua empresa manter um ROI razoável.

Saber quais tendências serão adequadas para você geralmente se resumirá a conhecer os seus próprios clientes, verticais e concorrentes de trás para frente.

Há várias coisas que pode fazer para avaliar as tendências do setor e tomar a decisão certa para o seu B2B.

1. Acompanhe os influenciadores e publicações da indústria

Siga blogs e notícias relacionadas no setor para ficar por dentro do que acontece.

Comece a encontrar influenciadores e publicações relacionadas especificamente ao seu setor e, em seguida, vá para outros mercados para ter uma visão geral.

2. Absorva pesquisas atualizadas do setor e relatórios de tendências

Cada setor muda em algum ponto ou outro, e manter-se atualizado através de relatórios e dados pode mostrar para onde as coisas vão.

Os números nesses relatórios geralmente vêm de pesquisas originais nas quais pode confiar, em vez de apenas seguir a popular palavra na rua.

Além disso, quando está regularmente ciente do que acontece no seu setor, terá uma noção de quais tendências valem o esforço e quais podem esperar.

3. Aproveite ao máximo as ferramentas e análises digitais para avaliar o comportamento dos seus clientes

Use os dados do cliente para avaliar se uma tendência é certa para você.

O que mostram os números?

Muitas tendências podem funcionar para outras empresas, mas conhece melhor os seus clientes.

Considere a utilização de mais de uma ferramenta de coleta de dados para que possa ver as tendências dos clientes de diferentes fontes.

Use esses números para ver as tendências gerais no seu negócio. 

A adoção de uma nova tendência interromperia o comportamento do cliente?

4. Obtenha feedback dos seus clientes

Não tenha medo de perguntar aos clientes atuais o que eles precisam.

Obter feedback dos clientes atuais pode dar-lhe uma visão das tendências e pode criar planos mais específicos para o futuro.

Nunca se sabe, um cliente pode até sugerir uma ideia na qual não pensou.

5. Observe os seus concorrentes

Dê uma vista de olhos nos seus concorrentes.

Eles seguiram uma tendência específica? Se sim, como funcionou para eles?

Claro, não precisa fazer tudo o que os seus concorrentes fazem, mas estar atento é outra maneira de medir uma tendência.

Conclusão

Ok, então há muitas coisas novas acontecendo no ecommerce.

Tecnologia e pessoas estão sempre evoluindo e, como o ecommerce reúne tudo, estaremos sempre olhando para o futuro.

Uma coisa é certa: nunca é tarde para começar, aprender algo novo e avaliar se é certo para o seu negócio.

Por enquanto, os consumidores estão no banco do motorista e as empresas de ecommerce irão personalizar a jornada que têm pela frente.

Sobre o Autor

Joao Botas

João é um profissional de marketing digital com mais de uma década de experiência em negócios online. Ao longo da sua carreira, ele ganhou experiência em todas as áreas do marketing digital, desde redes sociais até publicidade paga. Ele trabalhou em projetos de clientes e projetos de afiliados. Hoje, ele está focado em construir novos projetos e direcionar tráfego através de SEO e publicidade paga.